14 de junho de 2013

Comer plantas selvagens - Ançarinha branca (Chenopodium album)

É infindável a lista de plantas que nascem espontâneamente por todo o lado e que podem ser utilizadas para fins medicinais. Mas também há muitas plantas espontâneas que são comestíveis, e que nos "infestam" as nossas hortas. Não gosto de lhe chamar daninhas, porque todas elas têm a sua função, mas lá que algumas são danadas, são! Um pouco de conhecimento faz toda a diferença.

Aos poucos vou estudando e aprendendo com quem sabe a conhecer as plantas selvagens comestíveis, e já experimentei a ançarinha-branca (salteada), a beldroega (sopa e salada), o dente-de-leão (salada). A seguir, hei-de experimentar a sopa de urtiga (para já tenho-lhe dado outro uso),  o saramago e até a labaça, que este ano está mesmo uma praga lá na quinta.

A Ançarinha-branca (Chenopodium album), também conhecida como falsa-erva-de-santa-maria, quenopódio ou espinafre-selvagem, é uma planta anual que começa agora em junho a nascer por tudo quanto é lado da horta, com uma força espantosa, e, se a deixar crescer, chega a atingir 1 metro de altura em pouco tempo.

Pois este ano, em vez de lutar com a planta, deixo-a crescer um pouco e depois arranco, cozinho e como-a. E é uma delícia.

A seguir, receita de ançarinha branca salteada que o meu tio José Alberto me deu. A receita é rápida e idêntica a grelos salteados, mas com a particularidade de cozer as folhas de ançarinha-branca em duas águas:





- Escolher as folhas tenras e lavar bem;
- Mergulhar em água a  ferver e deixar ferver 2 minutos;
- Escorrer e voltar a mergulhar em nova água a ferver, desta vez com um pouco de sal, e deixar ferver mais 2 minutos;
- Voltar a escorrer e saltear numa frigideira com azeite e alho picado.
- Servir

Mais alguns usos e receitas de plantas espontâneas comestíveis nos links:


7 comentários:

  1. Que boa utilização para as espontâneas :)
    hei-de experimentar.
    Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos de aprender a "trabalhar" a favor da natureza, em vez de contra ela. Eu é que agradeço a visita, Giz :)

      Eliminar
  2. Olá manuela,

    olha que a labaça faz um óptimo esparregado! Com a vantagem de ter folhas gigantes. Eu corto o veio do meio e voi la!

    Aliás, dá para usá-la da mesma maneira que se usam outros vegetais que normalmente usamos.

    Esta que apresentaste e tenho no terreno agora, não sabia :)).

    Grata! beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana Teresa

      Pois a labaça (ou língua-de-vaca, como lhe chamam por aqui) ainda não experimentei, mas está na vez :) Este ano tem sido demais!

      Obrigada e beijinhos!

      Eliminar
  3. Então aproveita! Se não quiseres muitas, arranca a haste quando tiver sementes e assim não terás mais do que as que já existem.

    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Óptima dica aNaTureza! :-)
      Obrigada e beijinhos!

      Eliminar
  4. Que dicas tão boas!!! Quando tiver a minha quinta, experimento essas receitas todas! :-)
    Beijinhos!

    ResponderEliminar