27 de dezembro de 2014

Projeto Rios - Unindo pessoas e rios

Pedro Teiga, mentor do Projecto Rios "desafia cidadãos, comunidades, escolas e centros de 3ª idade a adoptar troços de rios". Ver vídeo aqui

«Enquadramento

Desde as primeiras civilizações, o ser humano, por razões económicas, culturais e de lazer, esteve sempre ligado aos recursos hídricos, vivendo uma relação que sustentava uma natureza mais poderosa do que o Homem. Com a evolução da civilização humana, esta posição mudou. O desenvolvimento das sociedades atuais tem conduzido a uma degradação generalizada do meio ambiente e a uma utilização irracional dos recursos naturais.

Atualmente, os rios e as ribeiras em Portugal apresentam vários problemas, nomeadamente ao  nível dos usos comuns e da afluência de oportunidades de exploração de recursos que ocorrem ao longo da sua bacia hidrográfica. Muitos destes problemas resultam da falta de conhecimento e participação pública, quer ao nível da população em geral quer ao nível do poder decisor.

O que é o Projeto Rios?

O Projeto Rios é um Projeto que visa a participação social na conservação dos espaços fluviais, procurando acompanhar os objetivos apresentados na Década da Educação das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável e contribui para a implementação da Carta da Terra e da Diretiva Quadro da Água. 

A implementação deste projeto pretende dar resposta à visível problemática, de âmbito nacional e global, referente à alteração e deterioração da qualidade dos rios e à falta de um envolvimento efetivo dos utilizadores e da população em geral. »

Fonte: Documento de Apresentação do Projeto Rios 


«Em Portugal, o Projeto Rios chegou em 2006 e é promovido pelas seguintes entidades: Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA); Associação de Professores de Geografia (APG); Liga para a Protecção da Natureza (LPN); Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP). A ASPEA é presentemente a responsável pela coordenação do projeto.

Actualmente estão envolvidas na implementação do Projeto Rios no território nacional diversas entidades institucionais (câmaras municipais, juntas de freguesia, escolas, associações, organizações não-governamentais (ONGs), institutos e centros de investigação), empresas e a população em geral.»

Fonte: Projeto Rios (http://www.projectorios.org/)
Metodologia:



Apresentação do Projeto Rios por Pedro Teiga em Vila Nova de Famalicão: http://youtu.be/SMAMJwLmLiQ

Mais informação em: http://www.projectorios.org/.  Inscrições aqui

(Mensagem idêntica à publicada no blogue Sustentabilidade é Acção em 17/12/2014 "Projeto Rios - Une pessoas e une rios")

22 de março de 2014

Desodorizante caseiro

Está a acabar o meu desodorizante caseiro, pelo que está na altura de voltar a fazer nova dose, de acordo com as indicações da Mariana Neves (blogue Chá e Girassóis):

2 porções de óleo de coco
1 porção de amido de milho (Tipo Maizena ou, de preferência, de marca nacional)
1 porção de bicarbonato de sódio (em pó fino)

Abaixo dos 25ºC, o óleo de coco está sólido, pelo que será preciso amorná-lo em banho maria para o derreter ligeiramente e facilitar a mistura com o amido de milho e com o bicarbonato de sódio. Depois é só colocar numa embalagem, de preferência a reutilizar, e usar.

Na minha opinião, além de fácil e saudável, é eficaz e agradável. No Verão, o desodorizante fica líquido, pelo que o melhor é guardá-lo no frigorífico, e tirá-lo algum tempo antes de utilizar. Claro que há outras receitas, que se pode adicionar óleos essenciais, mas eu gosto da simplicidade e do leve aroma do coco deste.

Entretanto, conheça as principais substâncias que devem ser evitadas nos cosméticos e produtos de higiene comerciais neste excelente artigo do Portal eCycle.

Aqui, alguns links para mais opiniões e receitas sobre desodorizantes caseiros:
http://letsmaketeanotwar.blogspot.pt/2013/06/desodorizante-natural.html (fonte)
http://aproveitaravidaja.blogspot.pt/2011/02/desodorizante-caseiro.html (fonte da fonte)
http://criacoescaseiras.blogspot.pt/2010/11/desodorizante-caseiro.html
http://ecocosas.com/eco-ideas/desodorante-en-barra/
http://ecocosas.com/eco-ideas/desodorante-casero-y-ecologico/

E ainda uma receita de desodorizante natural para a casa:
http://www.semstress.com/fazer-um-desodorizante-100-natural/

10 de fevereiro de 2014

Sumos, néctares e refrigerantes

(imagem daqui)
Beber um sumo de laranja acabada de espremer, é uma delícia! Não é muito melhor comprar laranjas e espremê-las do que embalagens de sumo? Ou de néctar?  Qual a diferença? para além do sabor, dos efeitos na saúde, no ambiente, claro! Este vídeo da jornalista Francine Lima, do canal "Do campo à mesa", explica claro (encontrei no ((o))ECO).

Em Portugal, o Decreto-Lei 145/2013 (que transpõe a Diretiva n.º 2012/12/UE), regulamenta a composição dos néctares e sumos (sucos), ao que parece, não muito diferente do Brasil: no caso do néctar de laranja, o teor de fruta mínimo é 50%, noutras frutas, depende de qual (veja o anexo IV, incluído nesse DL).



Já o refrigerante de laranja, tem no mínimo 8% de fruta (ver aqui). Veja então os vilões que uma garrafinha ou latinha de refrigerante alberga:

14 de janeiro de 2014

Curso de Apicultura em Paredes

A Associação Paredes em Transição promove o Sétimo Workshop de Apicultura com Harald Hafner em Paredes, de 28 de fevereiro a 18 de maio de 2014.

«Pretende-se que os participantes terminem o workshop com a confiança necessária para tratarem os seus próprios enxames, quer como passatempo, quer como uma possível ocupação a tempo inteiro.

O workshop será conduzido, em língua portuguesa, por Harald Hafner, apicultor austríaco há muito radicado em Portugal, mestre em apicultura, e com uma vasta experiência profissional em vários ambientes, com diversas raças de abelhas e diferentes tipos de colmeia»

As datas das sessões são as seguintes:
1.ª sessão: 28 de Fevereiro, 1 de Março e 2 Março (Sexta 21:15-23:15h; Sab. 9:15-17:15h; Dom. 9:00-13:00h)
2.ª sessão: 12 de Abril (Dom. 9:00-17:00 h)
3.ª sessão: 16, 17 e 18 de Maio (Sexta 21:15-23:15h; Sab. 9:15-17:15h; Dom. 9:00h - até terminar, de tarde)

Inscrições e mais informações no blogue Paredes em Transição (aqui)

(mensagem idêntica à publicada no blogue Sustentabilidade é Acção em 12/1/2014)