20 de dezembro de 2012

Consumo - Prendas de Natal Sustentáveis

O Natal não se resume a trocar prendas, muito pelo contrário!
Contudo, como estamos inseridos numa sociedade consumista e reduzir e reorientar esse consumo é essencial para a Sustentabilidade, aqui ficam dicas para Prendas de Natal Sustentáveis:

Imagem retirada daqui

 - Ofereça o apadrinhamento de um animal, seja ele um Lobo, um Burro (aqui ou aqui), uma Ave de Rapina (aqui ou aqui), um cão-guia ou um cão ou gato abandonados (aqui, aqui ou aqui), por exemplo.
Estará a contribuir para associações que realizam acções preciosas e, simultaneamente, a dar uma lição importante juntamente com a sua prenda!



- Brinde alguém com a inscrição numa associação ambiental/ecológica, de intervenção social ou mesmo de importância extrema para o funcionamento da sociedade, como nos Bombeiros Voluntários da sua área de residência.


Imagem retirada daqui

- Dê às pessoas a hipótese de cultivarem o seu próprio alimento, ofertando vasos com plantas aromáticas ou mesmo árvores de fruto, inscrições em cursos de horticultura ou mesmo sementes variadas, idealmente biológicas e de espécies autóctones/tradicionais, como as que a Colher para Semear preserva.



- Ofereça um curso/workshop de algo que interesse à pessoa a quem quer oferecer a prenda e que contribua para a sua autonomia e saúde, como um workshop de cozinha vegetariana, um curso de horticultura, um workshop de técnicas de construção ecológica ou uma oficina de costura criativa. Não dê o peixe, ensine a pescar... literalmente!

- Dê um pouco de si mesmo, oferecendo-se como voluntário numa instituição de solidariedade social da sua área de residência ou num canil/gatil ou associação de protecção de animais, por exemplo, e organize a sua família e amigos para colaborarem também. Não há melhor prenda do que ter o coração quente por saber que ajudou quem precisa! E tem sempre a recompensa em dinheiro kármico ou algo mais divino, quiçá?


Claro que pode também optar por estes e outros exemplos, mas tenha sempre em consideração que não deve deixar o consumismo matar o Natal!

E torne toda a experiência da quadra numa Acção Sustentável, tanto ecologicamente, como financeiramente, seguindo as dicas da Quercus e lembrem-se:

Imagem retirada daqui


 BOAS FESTAS!!!


17 de dezembro de 2012

Green School - uma escola verde

Em Bali, na Indonésia, existe uma escola verde, a Green School, fundada pelos canadianos Cynthia e John Hardy. Uma escola que pretende inspirar o mundo para a educação e responsabilização para a sustentabilidade. O seu lema é I RESPECT (Integrity, Responsibility, Empathy, Sustainability, Peace, Equality, Community, Trust). Para conhecer melhor a escola e o conceito, veja abaixo a palestra de John Hardy no TED, e visite a respectiva página.



"Post" idêntico ao publicado em 6/2/2011 no blogue Sustentabilidade é Acção

22 de novembro de 2012

Intervir - Vamos todos FLORESTAR PORTUGAL!!!

Sábado, dia 24 de Novembro, a AMO Portugal - Associação Mãos à Obra Portugal vai levar a cabo a iniciativa FLORESTAR PORTUGAL.

Imagem retirada daqui

Juntem-se a esta iniciativa e vamos encher Portugal de árvores autócotones, árvores próprias do nosso país, ricas em história e valor para a nossa fauna.

Plantem uma árvore e façam parte deste movimento! :-)

8 de novembro de 2012

Sugestões para o Natal

Por todo o lado surgem dicas para gastar pouco dinheiro com as prendas de Natal este ano, mas de uma forma eficiente.

Uma delas é esta:
Imagem retirada daqui
Claro que pode surgir a questão "na realidade não estamos a contribuir para a economia do país, pois são transações que escapam aos impostos e é esta mentalidade que nos vai afundando cada vez mais", uma questão perfeitamente válida e legítima de se colocar.

Contudo, o país não se resume ao Governo, mas é sim o conjunto dos cidadãos portugueses!!!
Por isso mesmo, se ajudarmos artífices portugueses, estamos-lhes a dar uma hipótese de se virem a estabelecer como empresários, a dar-lhes dinheiro para comprarem os seus materiais, roupa e alimentos a outros portugueses que, paguem impostos ou não, farão o dinheiro circular pelo país.

A economia não se resume a pagar impostos, mas sim a fazer circular o dinheiro, a tirá-lo do banco ou de debaixo do colchão e fazer algo com ele, permitindo que outros o façam também.
E a mantê-lo dentro do país!
Não vale a pena comprar montes de produtos importados, mesmo pagando impostos sobre eles, pois isso apenas aumenta o défice e diminui a riqueza interna, além de não contribuir em nada para os nossos conterrâneos.

É preciso lembrarmo-nos constantemente que o dinheiro que sai do nosso bolso faz mais jeito no bolso dum familiar, amigo, vizinho, conhecido ou apenas concidadão, do que nos cofres do Estado a ir pagar dívidas contraídas para pagar dividas expiradas...

Estamos num ponto em que as medidas de austeridade já comprovaram não servir para nos tirar desta crise e temos a Grécia como exemplo vivo disso também.

Vamos continuar a cumprir os nossos deveres de cidadãos, pagando os nossos impostos, mas sejamos capazes de ajudar outros portugueses com o dinheiro que ainda nos resta!

E, para mais sugestões para presentes, decorações e ceias de Natal sem grandes gastos, veja aqui, aqui, aqui e aqui.

____________________________________
Transposto do blogue "Comprar Local e Nacional é Reinvestir em Portugal", entretanto encerrado.

26 de outubro de 2012

Intervir - Plantar árvores

Há quem diga que só se viveu uma vida plena depois de plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho.
Então, porque não começar pela mais simples e que até ajuda o ambiente?!?

Imagem retirada do FB

Plante uma árvore hoje mesmo!

Não precisa esperar pelo dia da Árvore, quando entra a Primavera, muito pelo contrário: uma árvore de exterior deve-se plantar no Outono, para que as suas raízes se estabeleçam a tempo da árvore poder retirar o máximo de nutrientes para a floração primaveril!

Imagem retirada daqui

Tem mais informações aqui e aqui.

E não precisa de ter terreno para isso: pode plantar uma árvore num vaso fundo e até ter um pomar na varanda! :-)

Imagem retirada daqui

E, como até já só faltam dois meses para o Natal, que tal oferecer um vaso com uma árvore de fruto ou até um pequeno pinheiro?!?

Imagem retirada daqui


9 de outubro de 2012

Curso Prático de Horticultura na Horta do Botânico, Coimbra

Reportagem sobre o Curso Prático de Horticultura "Aprender a cultivar em pequenos espaços", que ocorreu entre Fevereiro e Julho de 2012, com os formadores Sónia Brásio, Pedro Ferreira e Annelieke van der Sluijs .Na Horta do Botânico, um projecto desenvolvido pela iniciativa Transição Coimbra, no Jardim Botânico de Coimbra.


Curso Prático de Horticultura - Practical Course of Horticulture - Coimbra, Portugal from Glen Friedman on Vimeo.


Para mais informações sobre a iniciativa, cursos, actividades e voluntariado: transicaocoimbra.wordpress.com, transicaocoimbra@gmail.com

16 de setembro de 2012

Agricultura biológica - algumas dicas básicas

Horta experimental em mandala
O princípio fundamental da agricultura biológica  é o respeito pela natureza e a estrita proibição de pesticidas ou adubos químicos de síntese. O solo é também um dos pilares fundamentais: ao contrário da agricultura "tradicional" que empobrece e mata o solo, com a prática da agricultura biológica o solo é enriquecido. Toda a matéria orgânica não consumida é devolvida ao solo (e mesmo parte da consumida: o estrume). Com compostagem ou sem compostagem (adubação verde).

A agricultura biológica baseia-se na biodiversidade: para além de  certas plantas atuarem como "defensoras" ou "ajudantes" de outras (consociações), se ocorrer uma devastação de uma espécie, por doença, praga ou intempérie, há uma grande probabilidade de outras espécies resistirem e não haver grandes perdas.


Abelhão na for da couve
 A agricultura biológica depende de uma miríade de insetos polinizadores, como as abelhas, e de insetos predadores de outros insectos "vegetarianos", cujo exemplo paradigmático é a joaninha, que é uma feroz devoradora de pulgões e outros pequenos insetos que atacam as plantas. Por isso, e porque a joaninha é extremamente sensível e só aparece onde não há aplicação de pesticidas, ela é o símbolo da agricultura biológica. Para os atrair, certas flores (como os cravos-de-tunes) e as plantas aromáticas  são fundamentais.

(texto extraído daqui, onde também falei de agricultura natural e ecológica)
 
Para quem se quer iniciar na agricultura biológica, ficam aqui algumas dicas básicas, bem como algumas fotos da minha primeira horta, que iniciei em Dezembro de 2011. Mas sem dúvida que um pequeno curso teorico-prático é uma grande ajuda para começar bem.

Canteiro coberto com palha
Solo: Para além das características físicas (textura, estrutura,...), ou químicas (pH, nutrientes - azoto, fósforo, potássio,...), as características biológicas do solo são importantíssimas. O solo é composto por materiais inorgânicos, ar, água e matéria orgânica.  A matéria orgânica, essencial, é composta pela parte já decomposta (humus), pela parte em decomposição (chamada parte ativa), pelos restos frescos de seres vivos (folhas, raizes, animais) e pelos próprios seres vivos. A olho nu, pode-se avaliar o seu potencial biológico pela cor - quanto mais escuro, mais matéria orgânica.

NUNCA se deve revolver o solo a mais de 10 cm de profundidade (há aqui algumas discordâncias, mas ficam para outra altura), porque isso destrói a sua biocapacidade. Também não se deve deixar o solo que foi revolvido às intempéries: sempre que possível, deve ser coberto com palha ou outras plantas usadas para a adubação verde, protegendo-o do sol e da erosão.

Fertilização do solo: através do estrume ou composto (resultante da compostagem doméstica ou industrial de resíduos orgânicos). Deve-se ter cuidado com a altura da fertilização, especialmente se for feita com estrume, pois se as plantas estiverem já semeadas ou plantadas não deve ser usado o estrume, e o composto só com precaução, dependendo da espécie e da fase (vegetativa ou reprodutiva). O estrume deve ser sempre usado algum tempo ANTES da plantação, para não causar choque às plantas e para dar tempo que bactérias fecais nocivas morram.

Cravos-de-tunes e cosmos
Adubação verde: certas plantas são muito úteis para enriquecer o solo através da sua trituração e incorporação no mesmo, especialmente leguminosas, que vivem em simbiose (nas raizes) com micro-organismos (Rhizobium) que sintetizam compostos de azoto a partir do azoto do ar. Servem também para cobrir o solo protegendo-o.
- O tremocilho, uma leguminosa, é um bom exemplo para adubação verde, que deve ocorrer após a floração, mas antes da vagem ter sementes desenvolvidas. Corta-se, deixa-se secar cobrindo a terra, e  depois incorpora-se na mesma.
- Os cravos-de-tunes (ou cravos xaropes) são óptimos para bordadura e para afastar certas pragas. Devem ser enterrados na terra após o seu ciclo anual, pois ajudam a manter afastados do solo nemátodos indesejáveis.

Borboleta-zebra nas zínias
Biodiversidade: A biodiversidade na horta é essencial para que haja maior resistência a picos de clima ou a pragas. Mesmo as ervas a que chamamos daninhas ou infestantes têm o seu papel: umas são comestíveis (beldroegas, ançarinha-branca), outras enriquecem a terra (trevo), outras são excelentes "pesticidas" (urtiga), outras aceleram a compostagem (urtiga, consolda) e muitas são medicinais (dente-de-leão, labaça, quelidónia-maior, carrajó, urtiga).
Os melros dão cabo dos caracóis, mas precisam de ser chamados com certas árvores de fruta, como por exemplo ameixoeiras. Há que deixar uma parte dos frutos para os pássaros que ajudam a combater certas pragas; mais vale perder parte dos frutos do que a produção.

consociação alho-francês, alface, cenoura, couve
Consociação: aproveitamento do mesmo terreno, por duas ou mais culturas diferentes, na mesma época. Muitas espécies podem ser associadas entre si, porque se beneficiam mutuamente - consociações favoráveis ou positivas. Mas também há consociações  desfavoráveis ou negativas.
As flores são essenciais nas hortas para atrair insectos úteis; plantas aromáticas repelem pragas e também são essenciais numa horta.  Veja tabelas de consociações aqui, e relacionados com plantas aromáticas e insetos no Cantinho das Aromáticas  e exemplos aqui.
- A hortelã é uma planta muito útil para afastar insectos indesejáveis, mas deve estar plantada em vaso porque é invasora.
- A erva príncipe é um óptimo repelente de insectos indesejáveis (sobretudo para quem tem cães - ver aqui), e dá para fazer um chá delicioso, mas é bastante sensível ao frio.

Calêndula
-  A calêndula, usada em bordaduras, além de atrair insetos úteis, é repelente de certos insetos nefastos para a horta, e tem ainda a vantagem de ter pétalas comestíveis, que embelezam qualquer salada (usadas sobretudo em "alta cozinha").
- Os cravos-de-tunes (ou cravos xaropes) são ótimos para afastar certas pragas e devem ser enterrados na terra após o seu ciclo anual, pois ajudam a manter afastados do solo nemátodos indesejáveis.
- Nos pomares, a cobertura do solo com trevo ou azevém é indicada.


Bordadura com flores e aromáticas
Sebes: Vedações de árvores e arbustos que cercam campos agrícolas. São utilizados na agricultura biológica para fomentar a biodiversidade e protecção da erosão causada pelo vento e prevenção da perda de água. A sua altura depende da dimensão da horta, e não deve ensombrar demais a horta, que precisa de sol.

Bordaduras:  pequenas sebes ou remates de canteiros com plantas aromáticas ou com flores, com a função de repelir insectos indesejáveis e atrair insectos polinizadores (úteis). Por exemplo, de  alecrim, alfazema,  tomilho,  zíniascosmoscravos-de-tunes, etc. (ver exemplo aqui).

Colhido na horta 
Espero que façam bom proveito!

E para finalizar, um vídeo com o exemplo de uma horta biológica no Porto, da Atimati!

Está lá tudo em harmonia: as hortícolas, as aromáticas, as flores, os insetos, os animais domésticos, as pessoas, o trabalho e até a música!

12 de agosto de 2012

Dica para as férias IV


RECUSAR SERVIÇO DE QUARTOS TODOS OS DIAS

"Em casa não mudamos os lençóis da cama todos os dias, por muito bem que saiba deitar numa cama acabadinha de fazer de lavado... Nem trocamos as toalhas de banho todos os dias. Nem aspiramos o quarto todos os dias.
Também não precisamos de o fazer quando ficamos num hotel, pousada, casa de turismo, ...
Não custa nada.
Alguns hotéis já estão sensibilizados para esta questão (até porque também é económica...). Fiquei, há uns tempos, num hotel que tinha o habitual aviso de "Não incomodar/Do not disturb", mas na outra face deste tinha a opção (caso o pendurássemos na porta) de os funcionários limparem o quarto e fazerem as camas, mas sem mudarem lençóis e toalhas.(...)

Nas casas de turismo rural onde já ficamos - por este nosso Portugal fora - tem funcionado falar com a pessoa responsável e explicar-lhe o que pretendemos. Normalmente ficam surpreendidas, com aquela cara "lá vêm estes maluquinhos do ambiente...", mas depois de abarcarem o alcance da medida, costumam ficar satisfeitas...
Quando não há outra hipótese, resta deixar o famoso aviso "Não incomodar" pendurado na porta. Claro que a cama vai ficar por fazer, mas... é assim tão mau? Pensem na quantidade de água (e detergentes) e energia que se poupa (e a quantidade de lençóis e toalhas que duram mais tempo). (...)
E, claro, aproveitem para sensibilizar os responsáveis do local onde estão, seja na recepção, seja através do livro de sugestões/opiniões ou daquelas folhinhas que costumam estar nos quartos para darmos a nossa opinião sobres o hotel.
E deixo-vos com uma ideia do peso que tem, em termos ambientais, a indústria hoteleira (neste caso são números referentes aos EUA), divulgados no âmbito de uma campanha de sensibilização para esta questão: "
 
 
 
 

10 de agosto de 2012

Dica para as férias III

PREVENÇÃO DOS INCÊNDIOS FLORESTAIS

Imagem retirada daqui

"“Portugal sem fogos, depende de si”, é uma campanha através da qual a GNR procura despertar um sentimento nacional de protecção à floresta, em que dada um dos portugueses, incluindo-o a si, sinta que pode realmente contribuir para a sua protecção, desde a prática de gestos individuais, até à fiscalização e denúncia de actos potencialmente perigosos de provocarem incêndios.
Se ainda tem dúvidas de que realmente pode ajudar e contribuir, então siga as recomendações que a seguir lhe damos, e verá como muitas coisas dependem de si.

SE MORAR JUNTO À FLORESTA OU NO CAMPO

Nunca deixe ao alcance das crianças fósforos ou isqueiros.
Durante o período crítico e, fora dele, sempre que se verifique o índice de risco de incêndio muito elevado ou máximo, é proibido fazer queimadas ou fogueiras.
Fora deste período, nunca faça fogueiras em dias de muito vento. Procure efectuá-las em dias húmidos e com pouco vento, a uma distância mínima de 100 metros dos limites da floresta.
Nunca abandone as queimas e fogueiras acesas.
Limpe o mato à volta da casa ou outras edificações, num raio de 50 metros, e retire as folhas, caruma e ramos dos telhados.
Corte as árvores que ofereçam risco para a habitação.
Guarde o gasóleo, as lenhas e outros produtos inflamáveis em locais seguros e isolados.
Tenha em local de fácil acesso algumas ferramentas, como enxadas, pás e mangueiras, para ajudar no primeiro combate ao fogo.
Separe as culturas com barreiras corta-fogo, como por exemplo, um caminho. Assim, pode evitar que as chamas passem de uma parcela para outra.
Os tractores, máquinas e veículos de transporte pesados, empregues em trabalhos nos espaços rurais, durante o período crítico de incêndios, é obrigatório:
• Possuírem dispositivos de retenção de faíscas ou faúlhas e dispositivos tapa-chamas nos tubos de escape ou chaminés;
• Estarem equipados com um ou dois extintores de 6Kg, de acordo com a sua massa máxima.
Procure ordenar a sua floresta, e mantenha os caminhos o corta-fogos livres de obstáculos e desperdícios.

QUANDO PASSEAR NA FLORESTA
Nunca deite fósforos ou cigarros para o chão. Lembre-se que é proibido fumar nas áreas florestais.
Quando circular de carro, apague bem os cigarros no cinzeiro do carro, e não deite as cinzas pela janela.
Nunca faça lume na floresta, nem mesmo para preparar comida. Leve o teu lanche já preparado, assim evitará fazer fogueiras.
Se for mesmo imprescindível, lembre-se que só é permitido realizar fogueiras nos locais previstos e identificados para isso.
Deve então:
• Remover as folhas secas;
• Fazer um círculo com pedras ao redor da fogueira, se não utilizar uma infra-estrutura já preparada;
• Molhar bem o local que rodeia a fogueira;
• Manter um recipiente com água por perto;
• Vigiar atentamente a fogueira;
• No final, deve apagá-la com terra ou água e nunca abandonar o local sem ter a certeza que as cinzas então completamente apagadas.
No campo ou na floresta, nunca deixe nem atire para o chão, plásticos, papéis ou vidros.
Ao sol, o efeito lupa do vidro pode provocar um incêndio.
Todo o lixo deve ser colocado nos contentores próprios. Se estiver longe deles, guarde-o e deite-o fora mais tarde, quando encontrar um.

LEMBRE-SE QUE O SEU CONTRIBUTO É FUNDAMENTAL
Qualquer pessoa que detecte um incêndio florestal é obrigada a alertar as entidades competentes e a tentar a sua extinção.
Se possível, ligue para o 112 ou 117
A rapidez do aviso pode salvar a floresta de um grande incêndio.

COLABORE, Sempre que avistar acumulações de lixos ou alguém a fazer lume ou outros actos potencialmente perigosos de provocarem incêndios, ligue para a GNR.

Para sua segurança, se for surpreendido por um incêndio:
Não entre em pânico.
Procure sair da zona na direcção contrária à do vento.
Não corra monte acima, o fumo e as chamas tendem a subir.
Evite colocar-se em lugares com grande acumulação de combustíveis ou em pontos situados no sentido da direcção do incêndio.
Procure uma zona com água ou pouca vegetação ou já queimada.
Se ficar cercado pelo fogo, tente proteger-se da radiação, deitando-se no chão atrás de uma rocha grande, de um tronco ou numa depressão, cobrindo-se com terra.
Proteja a cara com um pano molhado, pois facilita a respiração.

Se se encontrar numa casa na floresta e o fogo o impedir de fugir, deve fazer o seguinte:
• Deixar as mangueiras abertas, dirigindo a água para o telhado e vegetação em redor;
• Fechar portas, janelas, persianas e desligar o gás e a electricidade;
• Permanecer no sítio mais seguro da casa;
• Se a situação se complicar e tiver que sair, cobrir a maior parte do corpo, se possível com roupas molhadas, para se proteger do calor.

Se estiver numa viatura e ficar cercado pelo fogo:
• Não conduzir cegamente através do fumo, acender as luzes e os intermitentes;
• Procurar previamente um caminho de saída;
• Fechar as janelas e procurar uma zona sem vegetação ou já queimada;
• Se o veículo se incendiar, sair imediatamente procurando cobrir a maior parte do corpo.

Os incêndios florestais são uma das principais catástrofes em Portugal.
As suas causas são variadas, mas uma grande parte dá-se por descuido humano.
Por isso, a protecção da floresta começa em si."

Fonte: Panfleto da Guarda Nacional Republicana (www.gnr.pt) | SEPNA (Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente - sepna@gnr.pt), disponível para download e impressão aqui, bem como a versão para crianças aqui.

8 de agosto de 2012

Dica para as férias II

VÁ DE FÉRIAS PROTEGENDO O AMBIENTE
Imagem retirada daqui


"Se ainda tem dúvidas que realmente pode ajudar e contribuir para proteger a natureza e o ambiente, então siga as recomendações que a seguir lhe fazemos e verá como muitas coisas dependem de si.

EM PASSEIO OU EM FÉRIAS, NÃO SE ESQUEÇA:

ANTES DE PARTIR...
Desligue da corrente eléctrica todos os aparelhos que não necessitem de permanecer ligados.
Os que tiverem de ficar ligados, tais como frigoríficos, arcas congeladoras, regule-os para a temperatura mínima.
Antes de sair de casa, certifique-se de que não deixa lâmpadas acesas.
Se tiver um sistema de rega automática, programe-o para regar durante a noite.
Verifique se as suas torneiras não têm quaisquer fugas e, se possível, feche as de segurança enquanto estiver ausente.

O SEU AUTOMÓVEL...
Não transporte carga ou pesos desnecessários. Demasiada bagagem nas deslocações aumenta o consumo de combustível.
Lembre-se que uma carga extra de 100kg significa um gasto acrescido de meio litro em cada 100km.
Verifique se o seu veículo se encontra afinado. Lembre-se que filtros de óleo e de ar sujos, velas estragadas, pneus sem a pressão correcta aumentam o consumo de combustível e a emissão de dióxido de carbono (CO2).

SE FOR PARA A PRAIA...
Nunca deite restos de comida, papéis, beatas ou outro género de lixo para a areia. Deve sempre colocá-lo no contentor próprio. Se estiver longe, guarde o lixo e deite-o fora mais tarde, quando se for embora.
O lixo deixado na areia provoca doenças.
As embalagens de plástico e outro tipo de lixo deixado nas praias ou no mar matam, por ano, mais de mil animais marinhos por neles ficarem presos ou por tentarem comê-lo.
As dunas são locais de grande beleza, mas muito frágeis. Por isso, é nosso dever protegê-las. Não as estrague, não apanhe as plantas que nelas crescem, pois são elas que ajudam a proteger o solo.
Não se esqueça que os veículos estão proibidos de circular nas dunas.

NA CASA DE FÉRIAS…
A poupança de água é um gesto permanente. Por isso, prefira os duches aos banhos na banheira e, enquanto se ensaboa, não se esqueça de fechar a torneira.
Feche a torneira enquanto lava os dentes e descarregue o autoclismo só quando for necessário.
Ao deslocar-se até à praia, ao café ou em passeio, prefira andar a pé, evitando, sempre que possível, o automóvel. Estará a contribuir para a redução das emissões de CO2 e, ao mesmo tempo, a praticar exercício físico.

SE FOR PARA O CAMPO...
Prefira os passeios a pé ou de bicicleta. É a melhor forma de conhecer e contactar com a natureza.
Siga sempre os caminhos e trilhos já existentes. Não construa atalhos, pois destruirá plantas, provocando, consequentemente, a erosão.
Observe as plantas sem as colher. Nunca arranque ramos, folhas ou flores, nem escreva nas árvores. Tire-lhes fotografias. Recordá-las-á melhor.
Não faça ruídos desnecessários, não destrua ninhos, não perturbe e não capture animais. Não se esqueça que é proibido.
Se planear comer no campo, leve a comida já preparada, assim evitará fazer fogueiras.
Se possível, utilize as zonas próprias para piqueniques. É mais cómodo e seguro.
Nunca deite fósforos ou cigarros para o chão. Lembre--se que é proibido fumar nas áreas florestais.
Quando circular de carro, apague bem os cigarros no cinzeiro do carro e não deite as cinzas pela janela.
No campo ou na floresta, nunca deixe nem atire para o chão, plásticos, papéis ou vidros e nunca atire qualquer objecto para rios, ribeiros ou lagos, porque, para além de estar a poluir, poderá estar a contribuir para a morte de animais ou para a deflagração de um incêndio.
Recorde que, ao sol, o efeito lupa do vidro pode provocar um incêndio.
Todo o lixo deve ser colocado nos contentores próprios. Se estiver longe deles, guarde-o e deite-o fora mais tarde, quando encontrar um.

NUNCA ABANDONE O SEU ANIMAL!
Muitas pessoas abandonam os seus animais de estimação quando vão de férias.
Lembre-se que já existem muitos alojamentos próprios para os deixar e que é proibido abandonar, intencionalmente, animais na via pública.
Em Portugal, todos os anos são abandonados muitos animais, que acabam por morrer à fome ou por serem atropelados quando vagueiam pelas ruas em busca de alimento ou de abrigo, ficando, para além disso, sujeitos a todo o tipo de doenças.
Não os maltrate. Os animais também precisam de carinho, como você! E também têm direitos.
Não esqueça o seu animal de estimação! Acredite que ele também nunca se esquecerá de si.

SE FOR PARA O ESTRANGEIRO…
Não compre animais e plantas selvagens ou exóticos, incluindo as suas partes ou derivados, nem produtos feitos de madeira proveniente das florestas tropicais, como o pau-rosa, o ébano e outras.
O comércio de algumas espécies é totalmente proibido.De outras são necessárias autorizações especiais para os trazer para Portugal.
Se comprar, lembre-se que poderá estar a incorrer numa compra ilegal, e estará a contribuir para a extinção das espécies!
Araras, papagaios, macacos estão entre os vários animais protegidos. Peles, peças de marfim, produtos derivados de tartaruga-marinha, corais e plantas selvagens, poderão ser exemplo de compras ilegais.

Na protecção da Natureza e do Ambiente NÃO EXISTEM FÉRIAS!
A adopção permanente de boas práticas ambientais é a chave do sucesso.
Evite contaminar o ambiente, degradá-lo ou contribuir para o esgotamento dos recursos naturais.
CADA GESTO CONTA!"

Fonte: Panfleto da Guarda Nacional Republicana (www.gnr.pt) | SEPNA (Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente - sepna@gnr.pt), disponível para download e impressão aqui.

6 de agosto de 2012

Dica para as férias I

Como grande parte da população portuguesa está em período de férias, aqui ficam alguns conselhos para que continuem a Agir pela Sustentabilidade nestes meses de Verão (e não só!).

Imagem retirada do FB
"MANDAMENTOS DE PROTECÇÃO À NATUREZA:
- Não tire nada além de fotos.
- Não deixe nada além de pegadas.
- Não mate nada além de tempo.
- Não queime nada além de calorias."

Desfrutem da Natureza e boas férias! :-)

30 de junho de 2012

Pesticidas ecológicos


A agricultura biológica e a agricultura natural ou ecológica atuam de forma preventiva: um solo rico em matéria orgânica e de boa qualidade, o uso de consociações apropriadas e uma grande diversidade de espécies, previnem o aparecimento de doenças ou o ataque maciço por pragas. Mas nem sempre é possível evitá-las. Nesses casos, existem defensivos naturais que ajudam a minorar ou eliminar os problemas.

Chorume de urtigas, infusão de consolda (ou confrei), soluções de sabão ou extrato de alho, são alguns dos exemplos mais utilizados.  No vídeo abaixo, uma parte dum dos programas Biosfera de 2009, explica-se como se faz e se usam alguns dos pesticidas ecológicos (eu não lhes chamo biopesticidas, depois do que vi na definição na wikipédia, onde incluem extratos de plantas transgénicas).  Alguns destes pesticidas, como o chorume de urtigas ou a infusão de consolda, podem ser utilizados também como fertilizantes naturais, normalmente mais diluídos.

Mais informações sobre pesticidas ecológicos em:

28 de junho de 2012

Energia - Construir e usar um forno solar

A Manuela Araújo já aqui partilhou como construir e usar um "fogão foguete" ou "rocket stove".


Ora, como estamos num país pleno de Sol e, ainda por cima, em pleno Verão, venho aqui partilhar convosco como construir e utilizar um forno solar, aproveitando a energia gratuita do astro-rei!

O forno solar é um equipamento que, concentra os raios solares numa zona, permitindo aquecer os alimentos depositados num recipiente fechado, aí colocado.
Poderá encontrar muitas informações sobre a sua história, diferentes aspectos e construção aqui.

Imagem retirada daqui

Poderá construir um igual ao da imagem em sua casa, seguindo as instruções passo a passo que aqui encontrará. Para isso necessitará apenas:
- 2 caixas de papelão/cartão;
- 1 folha de papelão/cartão para a tampa;
- 1 rolo pequeno de papel de alumínio;
- 1 frasco de tinta preta não-tóxica ou fuligem preta de maderia limpa;
- cola branca ou de trigo.

Ou pode construí-lo como indicado aqui, utilizando apenas:
- 1 caixa de esferovite;
- 1 rolo de papel de alumínio;
- 1 pedaço de vidro para a tampa;
- 1 frasco de tinta preta não-tóxica;
- 1 pedaço de cerâmica para tabuleiro onde colocar a comida;
- 4 pedaços de madeira para elevar a placa de cerâmica do chão interior da caixa de esferovite (no vídeo utilizaram parafusos.


Poderá encontrar dicas sobre a cozedura solar, incluindo receitas, aqui, aqui e aqui.


E, se quiser participar numa Oficina de Construção de Fornos Solares, experimente esta em Ourém. É já no dia 30 de Junho, organizada pelo núcleo do Ribatejo e Estremadura da Quercus!

20 de junho de 2012

Prefira produtos biológicos

Um produto biológico é obtido através dum modo de produção biológico, ou seja, que utiliza métodos culturais, biológicos e mecânicos em detrimento de materiais sintéticos (não emprega adubos nem pesticidas químicos de síntese).
O objectido da Produção Biológica (Agricultura e Produção Animal) é manter e melhorar a fertilidade do solo e o equilíbrio e a diversidade do ecossistema agrícola, promovendo a qualidade ambiental, o bem-estar animal e a saúde humana.

Podemos encontrar vegetais, carne e seus derivados, ovos e mel biológicos, entre outros.

Os produtos biológicos são mais caros pois envolvem mais custos, incluindo o processo de certificação (visível através dos símbolos nas embalagens). Por isso, se não puder optar por consumir todos os legumes e frutas na sua versão biológica, consulte esta lista (original aqui em inglês) e utilize o seu dinheiro de forma consciente.

Os Doze mais "sujos" (em que são utilizados muitos pesticidas e, por isso mesmo, é melhor comprar de origem biológica):

1 - MaçãApple

2 - AipoCelery
3 - PimentosRed Pepper 
4 - Pêssego Peaches 
5 - Morangos Strawberries 
6 - Nectarina Nectarines 
7 - UvasGrapes 
8 - Espinafres Spinach 
9 - AlfaceLettuce 
10 - Pepino Cucumber 

11 - Mirtilos Blueberries 
12 - BatataPotatoe 
Os que podem conter resíduos de pesticidas de preocupação especial (procure a versão biológica):
+ Feijão Verde Green Beans 
+ Couve /Couve Galega Kale 
Os Quinze "Limpos" (a sua produção costuma implicar um menor uso de pesticidas, pelo que poderão ser adquiridos a agricultores tradicionais):

1 - CebolasOnions

2 - Milho Doce Sweet Corn

3 - AnanásPineapple

4 - AbacateAvocado

5 - Couve-coração Cabbage

6 - Ervilhas-de-cheiroPeas

7 - Espargos Asparagus

8 - Manga Mango

9 - BeringelaEggplant

10 - Kivi Kiwi

11 - MelãoCantelope

12 - Batata-Doce Sweet Potatoes

13 - Toranja Grapefruit

14 - Melancia Watermelon

15 - CogumelosMushrooms

Aqui tem mais informação sobre Agricultura, Hortas e Produtos Biológicos.

Se optar por produtos biológicos, estará a optar por uma melhor saúde para si e para a Terra! :-)
Imagem retirada da net